domingo, 7 de abril de 2013

Criança X Consumismo - aonde foi parar a infância ?

Cada dia é mais preocupante este tema...
As crianças estão sendo sorrateiramente usadas pela mídia e se convertem em prisioneiras dessa "doença moderna" chamada consumismo.
Os pais parecem não perceber...e se o fazem retrucam: "o que eu posso fazer ?"
Este vídeo é incrível .
Sentem-se numa poltrona confortável pois  apesar de longo vale a pena assistir  e compartilhar.



`Boa reflexão...!

4 comentários:

Divagações da Mamãe Tê disse...

Olá Betty... nâo consegui ver tudo... fazendo mil coisas, tendo que interromper para dar um jeito na cozinha antes de buscar Maria na escola...

Mãe multi-tarefas...

Mas pelo que consegui ver, é preocupante.. A criança chegar a falar que doi o coração por não ter aquilo...

Me cortou tb aqui... principalmente a simplicidade da casinha deles...

A Mídia influencia demais.. e aqui em casa, mesmo com o coração partido (algumas vezes), falamos não para nossa filha, mesmo que no momento possamos dar o que ela pede, o NÃO é necessário para seu crescimento.

A ultima dela foi um tal de ioiô fenix que "todos" da salinha dela tinha ganhado.

Pensei muitas vezes. Era facil ir na loja e comprar. Mas pela necessidade dela REALMENTE não ter o que os outros tinham naquele momento. Falei NÃO..

Doi? Doi sim. Mas acho que vai doer muito mais se mais tarde eu ver minha pequena uma criança ou adolescente consumista onde o TER, sobressai ao SER (Como foi o título do meu post)

E assim vamos tentando.. Conscientizando. Graças a Deus meu marido ajuda e muito nisso, até mais que eu.

Obrigada por sua visita ao Bolhinhas..Seja sempre bem-vinda!
Obrigada tb pelo convite ao seu blog..

Beijos grandes.

Betty Mello disse...

Olá ! Visitei seu cantinho também e deixei um recadinho lá ! Obrigada e volte sempre ! Bjs !

PSICÓLOGA VALÉRIA APARECIDA CORRÊA - CRP 06/46007 disse...

Se os pais comprarem produtos Waldorf não é considerado consumismo, certo ?

Betty Mello disse...

Oi,Valéria! A sua colocação é bem interessante...mas o caso não é o tipo de produto ( sendo waldorf pode e não sendo , não pode...) a questão é o incentivo à aquisição exagerada e desnecessária de QUALQUER TIPO DE PRODUTO, e usar a criança para CRIAR A NECESSIDADE, E A EXIGÊNCIA de aquisição inconsciênte pelo simples desejo de TER. No enfoque Waldorf à preocupação não é com a QUANTIDADE, mas com a QUALIDADE...o objetivo é desenvolver o SER e não o TER.